A KONAMI realmente tem a intenção de fazer um PES maior que FIFA?

Ao divulgar o conteúdo que será atualizado logo na primeira semana, fica a dúvida em relação ao que a KONAMI tem como prioridade para a franquia.

Como falamos no post anterior, logo nos primeiros dias teremos ajustes de conteúdo, como também na programação do jogo.

Com base nos seguintes ajustes:

Conteúdo do Pacote de dados 1.01 

– Novas equipes nacionais licenciadas: Rússia, Andorra 
– Listas de clubes da Primeira Divisão A da Jupiler Pro League belga e da 2ª Divisão italiana atualizadas 
– Novos jogadores das seleções de Marrocos, Egito, Costa Rica, Honduras, Paraguai, Costa do Marfim, Panamá e Montenegro, licenciados
– 28 modelos de faces de novos jogadores atualizados (principalmente dos clubes parceiros do PES) 
– Miniaturas de jogadores atualizadas para mais de 100 jogadores 
– Tiras atualizadas para mais de 180 clubes 
– 4 novos modelos de chuteiras 
– Série A TIM Adicionado design de bola oficial da Itália e da 3F Superliga (Dinamarca) 
– Introdução cinematográfica da Superliga dinamarquesa
– Dados atualizados das taxas de transferência para jogadores da Master League 

Correções e ajustes no jogo a partir do Patch 1.01.01 

– Corrigido um problema que ocasionalmente provoca no jogador, a drenagem mais rápida rápida do que o pretendido, ao utilizar controles Team mate (Jogador auxiliar) ou o passe dinâmica One-Two (Um-Dois) nas partidas online.  
– Corrigido um problema que ocasionalmente provocou um mal funcionamento nos analógicos, fazendo com que o jogador deixa-se de responder aos controles de habilidade, ou ao executar o drible. 
– Ajustado o sistema de falta sendo esse mais preciso 
– Melhorado o tempo de resposta dos controles de dribles com a bola presa 
– Ajustada a interação entre jogador e bola ao executar um corte 

A KONAMI ainda deu mais explicações sobre a atualização ao vivo, e também em relação aos jogadores em destaque. Porém, em relação a esses pontos, basicamente nada difere daquilo que encontramos no PES 2019.

Sendo assim, olhando para o que foi divulgado em termos de correções e demais detalhes, é notório que a KONAMI espremeu e forçou a barra para encaixar tudo isso como “novidade”.

“Ah Cícero, alguns desses itens não estavam presentes no PES 2019, e são sim novidades!”

Isso pode até ser verdade.

Mas, tirando a Gameplay, a nova forma de disputa no eFootball, e o Matchday (onde também estamos cheios de dúvidas), com base no que foi divulgado até agora, o que teremos a mais que não poderia ser implementado via atualização?

Licenças, Chuteiras, Euro 2020, etc? Tudo isso já veio em outras versões, via DLC.

Não sei vocês, mas para mim, anunciar ajustes de um jogo que nem foi lançado, como conteúdo da nova versão, é duvidar da inteligência alheia.

Correção de jogo/balanceamento, antes mesmo do jogo existir, é para ser anunciado numa nota a parte, ou no rodapé da própria Demo. Uma empresa séria e que tenha respeito por seu consumidor/cliente não pode ter esse tipo de atitude.

Como imaginar um vida útil saudável para um game, que antes mesmo de sua concepção, tem inúmeras coisas a serem adicionadas e ou corrigidas! E pior, isso ainda é anunciado como um destaque de atualização.

E aí meus amigos, venho pensando, será que realmente a KONAMI está preocupada em oferecer um produto igual ou superior ao FIFA, comercialmente falando?

E depois de um tempo raciocinando sobre isso, minha resposta é: Óbvio que não!

Continuo achando o FIFA um jogo infanto juvenil, que se baseia nas dificuldades que muitos apresentam, em não saber lidar com a frustração por algo não ter saído conforme eles gostariam.

Não sabe chutar, driblar ou criar jogadas? Sem problemas, a EA tem a solução com o FIFA.

No entanto, fica claro para mim que a KONAMI, nem de longe, tem o PES como uma de suas prioridades. Até porque, comercialmente falando, ele não é mesmo. Os pachinkos (máquinas caça níqueis) e os jogos mobile são as minas de ouro da empresa.

Já havia feito um vídeo comentando o que o PES represnta para KONAMI. Mas óbvio que o Canal Voxel fez um bem melhor. Quem quer entender sobre essa minha colocação, assista o vídeo até o final.

E é por essas e outras que, na minha humilde opinião, esse discurso de que “PES voltou”, infelizmente, serve mais para aqueles que jogam. Aqueles que enxergam o game como parte de sua rotina, como uma forma de entretenimento.

Para a KONAMI, PES está aí, nunca se foi, porém, não se sabe para onde irá.

Mas aparentemente, é com imensa tristeza, que hoje passo a imaginar a possibilidade de PES tomar o mesmo destino de outras franquias consagradas (Contra, Metal Gear, Castelvania, Silent Hill) só para citar algumas.

Virar uma máquina de pachinkos ou mesmo um jogo mobile (Opa! Esse último já tá no forno)

Todos os que me acompanham sabe o quanto sou otimista com relação ao PES. No entanto, há momentos em que é preciso ser mais racional.

Acompanho o jogo International Super Star Soccer/Winning eleven/PES desde sempre. E sinceramente, o que está sendo feito com o PES 2020 não tem precedentes, em termos de descaso.

“Mas e as licenças, Cícero. Tudo isso é investimento.”

Pois é, para um jogo mobile é basicamente o que se precisa. Investimentos em melhorias de verdade, para que o PES deixe de ser um jogo apenas baseado em gameplay. Que nada!

A KONAMI parece manter o mesmo orçamento dos últimos anos, onde esse ano, a máxima parece ter sido “investir em licenças!”. De resto, joga o myClub aí e deixa ver o que lucramos.

Óbvio que torço para que essa visão pessimista seja apenas uma precipitação de um mero apaixonado pelo jogo.

Mas observando o bate cabeça daqueles que estão responsáveis para transmitir as informações, em função da aparente falta de novidades, não consigo resgatar o otimismo de antes.

Você pode gostar...