PES 2015 – Espírito de equipe x Esquema tático – Quem ganha?

 

E aí galera, beleza? 

Quem teve o privilégio de acompanhar a segunda partida entre BRASIL x TURQUIA (Copa 2002), vai lembrar dos 15 minutos que Denílson teve, pra mostrar serviço. E perceber que a imagem tem tudo a ver com o tema…..kkk…Momento inesquecível!

Resolvi comentar sobre esse tema, por ter observado que alguns estão encontrando dificuldades, na hora de fazer a junção dos dois fatores.

Como comentei em alguns outros posts, quando a Konami anunciou que haveria o tal do Espírito de Equipe (EE), fiquei imaginando o quanto isso iria interferir na equipe. E pra minha surpresa interferiu até mais do que imaginava. Mas muita gente confunde o EE com o simples entrosamento do time. Mas o EE na verdade é um indicativo, se as relações entre os jogadores e o técnico estão boas (e entre os jogadores em si, também).
 
É normal começarmos a montar uma equipe, pensando logo qual a formação devemos usar. É certo que no caso do myClub, primeiro preocupa-se logo em tirar a tão sonhada BOLA PRETA….kkk. Mas dentro do padrão de jogo que queremos definir, a formação é de suma importância para alcançarmos nossos objetivos.
 
O que usar para começar? 4-3-2-1 (para não levar muitos gols, já que começo com um time fraco), 4-2-2-2 (pra manter o equilíbrio do time) ou logo um 4-2-1-3 (porque marcar gols é o que interessa). Na minha opinião, tanto faz! 
 
Mas Cicero, você acabou de dizer que a formação é um fator importante? Mas na minha opinião, só depois! Em função dos jogadores que você ganhará na roleta de bolas. Mas para começo, acho que não faz diferença! Pois, quando começamos no myclub, temos em mãos jogadores aleatórios, onde a proporção para cada posição, são relativamente equivalentes.
 
Então, seja numa formação mais cautelosa ou numa mais agressiva, você terá jogadores para ir encaixando nas posições necessárias. Por isso acho, que a escolha na formação inicial é mais uma questão de preferência no estilo de jogo A ou B. 
 
A partir daí sim, suas decisões passaram a interferir de forma direta no rendimento de seu time. Pois o tal do Espírito de Equipe (EE) deve se fazer presente, para que seu time venha a ser competitivo. Portanto, a escolha do jogador em determinada posição, não deverá ser feita em função, apenas de seu overall (pontuação), e sua posição é claro. 
 
Se pensarmos no termo Espírito, perceberemos que não estamos tratando de algo concreto, no qual teríamos um passo a passo pra chegarmos até ele. Gosto muito de pensar que o EE não se compra, se conquista! 

E acho que o primeiro fator, que interfere no EE é a escolha do técnico. O casamento entre, o estilo de jogo do técnico e o perfil dos jogadores que você possui em seu plantel, influenciará diretamente no seu EE. Não adianta você insistir num técnico de características conservadoras, para treinar um Balotelli, por exemplo.

Falo isso por experiência própria, pois ganhei o jogador logo de início, mas só depois que contratei um técnico argentino (O famoso NOGNALINI…kkkk) foi que o Balotelli veio mostra à que veio. 

E tá aí um ponto que gostaria de discutir melhor com vocês, pois essas ligações entre jogadores e técnico, como também entre os próprios jogadores, fazem toda diferença. Coloquei uma sequência de imagens para entendermos melhor. 
 
Primeiro esse é meu clube, no myClub. E com exceção do Balotelli, Buffon, Isla e D Alessandro, não tenho grandes craques. Mas consegui uma EE de 90 (Nada mal, não acham?).
 
PES FORUM IMG_20141123_124042773-1024x576
MEU TIME

 

A primeira coisa que gostaria que observassem (imagem abaixo), são as ligações entre técnico e jogador (indicada pelos itens no canto inferior direito). Observem que para cada característica do técnico, existe outra correspondente para o jogador, onde elas podem estar interligadas (símbolo de uma corrente) ou não. Nesse primeiro exemplo todas as características do técnico estão ligadas as características do jogador (L. ANDERSEN).
 
Indicando que aquelas características que o técnico exige para aquela função, o jogador corresponde em todos os quesitos. Isso faz o EE aumentar! Verificamos na mesma imagem que a região em volta do jogador está com um vermelho mais intenso, indicando que a relação entre ele e os jogadores próximos a sua posição, também está boa. 
 
PES FORUM IMG_20141123_114526790-1024x576
L. ANDERSEN
 
 
Isso fica mais claro, quando trocamos o ANDERSEN por outro jogador (S. DOWNING) de mesma posição e mesmo overall, porém com menos ligações entre ele e o técnico. 

 

PES FORUM IMG_20141123_114605650-1024x576
S. DOWNING

 

Verifique na imagem abaixo, que depois da troca, há uma redução de 3 pontos no EE, demonstrando o quanto essas ligações interferem. Porém a redução do EE parece ter sido mais influenciada pela menor ligação entre o DOENING e seus companheiros mais próximos. Isso fica claro, pela menor intensidade da cor vermelha em volta do jogador.

 

PES FORUM IMG_20141123_114634732-1024x576
Troca de L. ANDERSEN por S. DOENING

 

Isso fica comprovado quando analisando a segunda situação (sequência de 3 imagens abaixo). Temos o zagueiro E. ÁLVAREZ que possui todas as ligações com o técnico. Quando o trocamos por outro zagueiro (J. ÁLVAREZ), verificamos um aumento no EE de 89 pra 90. Ou seja, mesmo o primeiro zagueiro, tendo mais ligações com o técnico, o EE foi mais influenciado, pela relação entre os jogadores mais próximo, levando a crê que este fator tem um peso maior.
 
Um outro detalhe, também muito importante, é que mesmo o E. ÁLVAREZ tendo um overall de 75, sua troca pelo J. ÁLVAREZ (overall 71), não alterou a Força do time, que permaneceu 1378. Então meus amigos a força do time não é determinada simplesmente pelo fato de termos jogadores com overall mais altos. Diferentemente do que muitos imaginam. 
 
PES FORUM IMG_20141123_114700268-1024x576
E. ÁLVAREZ
PES FORUM IMG_20141123_114717524-1024x576
J. ÁLVAREZ
PES FORUM IMG_20141123_114748681-1024x576
Troca de E. ÁLVAREZ por J. ÁLVAREZ
 
Sendo assim, mesmo sabendo que o melhor resultado será obtido com a harmonia entre o Espírito de Equipe e o Esquema tático, se tivesse que optar por um dos dois, para priorizar, principalmente no começo, escolheria o ESPÍRITO DE EQUIPE. Levando em consideração, principalmente a relação entre os jogadores, nas quatro linhas. 
 
E quanto a vocês, como está a experiência de adaptação a todas essas variáveis? Juro que procurei não me estender, mas o tema é instigante e espero que compreendam. E por isso, gostaria da opinião de vocês sobre esse aspecto e os demais posts do blog. Também não preciso nem lembrar, que para qualquer dúvida é só deixar um comentário. 

Você pode gostar...